Partilhe
Os bandidos futeboleiros voltaram à nossas ruas.

Os bandidos futeboleiros voltaram à nossas ruas.

Cadeia com esta escumalha.

Bandidos

Voltaram os futeboleiros, uma raça à parte. Raça ascorosa, desprovida de qualquer sentido de civismo ou de vida em comunidade, gentalha culturalmente paupérrima, uma raça reptiliana sempre alinhada e obediente às claques do futebol que os dirigentes clubeiros afirmam que não existem. É claro que só podem afirmar isto. A máfia, a ‘ndrangueta, o outfit, seja qual for a sua forma, sempre alegou que não existe. Pois … é a suprema habilidade do demónio fazer-nos crer que não existe. Esta raça reptiliana de futeboleiros voltou a invadir espaços sem nenhum respeito pelas recomendações do governo e da DGS. Porque estes são muito fracos a comunicar. Continuam num registo de pedir o favor, de “por favor se não se importam”, de fazer sugestões. Com esta raça de gente, isto exige AUTORIDADE. Exige Polícia com todos os meios. Exige uso da força e cadeia. Isto para não falar da catraiada ordinária que monta “raves” e festarolas até às anfetaminas e borracheiras de estado de coma.

A continuar assim, com paninhos quentes, isto vai ser uma catástrofe nunca vista. Estamos perto da bancarrota a rezar que venha dinheiro da UE.

Tanto esforço de quem trabalha de facto para manter Empresas e postos de trabalho, e vêm estes futeboleiros, tipos que são capazes de ignorar e até trucidar família, amigos, até Deus se forem crentes, por uma bola e 11 atrasados mentais a correr atrás da mesma bola, mais um gajo normalmente insultado que se pavoneia com um apito fálico na boca, recentementemais um que vê o que lhe querem mostrar num vídeo, e pelos vistos, mais uns completos idiotas a correr de trás para a frente, com uma bandeirinha na mão e uma rolha noutro sítio.

Acabe o nojo do futebol profissional e acabe-se de vez com esta máfia. Ou isto muda tudo, a começar aqui e agora em Portugal, ou estamos a meses de uma guerra civil na Europa porque antes de Dezembro vamos ter milhões a passar fome. Alguém faz mínima ideia do que alguém que tem a família a passar fome pode fazer ? Espero que nunca.

Seja o Futebol um desporto saudável onde posso ir com os meus Filhos e Amigos como vou ao Algés-Dafundo assistir aos campeonatos de natação, onde todos se levantam a aplaudir todos os atletas e claro um grande aplauso para o melhor tempo.

Proteger a “indústria do futebol” quando as verdadeiras indústrias que acrescentam valor são relegadas para as calendas e melhores dias ? Não.

Isto assim vai acabar tudo aos tiros antes do fim do ano porque o que aí vem, ainda ninguém sonha.

Não sou profeta da desgraça. Estes futeboleiros é que são os veículos da desgraça.

Comentar