Partilhe
Uma agenda política para MÕES

Uma agenda política para MÕES

Estudos fundamentados, com critério.

Afirmação : ninguém assumidamente responsável pela “Tribuna de Mões” tem ambições políticas. A nossa única ambição é sermos compreendidos, “out of the box”, “notícias fora da caixa”, e acima de tudo, defender e promover a nossa comunidade, toda a riqueza intelectual dela e a riqueza que cria, potenciando-as.
Amanhã iremos iniciar a publicação de uma agenda política para Mões que poderá pôr Mões e Castro Daire “no mapa”.
Caso o poder político queira aproveitar este nosso investimento, que obviamente pagamos e estamos a dar de bandeja. Se não o quiser aproveitar, alguém o vai fazer.
Assim se tornarão mais transparentes as agendas políticas. Transparentes para todos porque podem entrar em discussão. A nossa Missão não é dificultar a vida aos representantes autárquicos, é contribuir para que possam decidir, mais informados, a favor da nossa comunidade.
Iniciamos, há cerca de um ano, um estudo com competentes consultores da Universidade Católica, estudo e relatório final que temos mantido em reserva pela simples razão, como diz a voz do Povo, “não se devem dar pérolas a porcos”. Os estudos e relatórios são dois.
1. PDIM – Plano de Desenvolvimento Integrado de Mões. 25 páginas – 1,9 MB pdf.
2. PDT – Plano de Desenvolvimento Turístico – Mões vila medieval e desenvolvimento sustentável. 125 páginas, 5,0 MB pdf.
Antes da publicação destes documentos, vamos propor uma muito simples agenda política para Mões.
Porque o fazemos agora ? Porque só agora a Junta de Freguesia tem dado sinais de alguma credibilidade e a Presidência da Câmara nos merece confiança. Este jornal não tem qualquer filiação partidária, de Fé ou outro qualquer alinhamento de pensamento que o obrigue. Apenas queremos contribuir, numa atitude e postura de cidadania com bases sólidas na humanidade.
Vamos começar pelo mais simples porque tudo tem um aspecto didáctico e pedagógico. O didáctico é resolver Mões. O pedagógico é ver se alguém aprende. A ver vamos.