Partilhe
John Maccain, 1936 – 2018

John Maccain, 1936 – 2018

Apontamento íntimo – escrito a 5 de Novembro de 2008 no blog rosamarmore.blogspot.com

Apontamento íntimo – 5 de Novembro de 2008.

Tanta esperança no futuro manifestada pelos líderes europeus após a eleição de Barack Obama é-me completamente incompreensível. Não pelo facto de Obama ter sido eleito mas pelo facto dos líderes europeus depositarem tanta esperança no próximo Presidente dos EUA.

Compreendo bem que o povo norte-americano, desesperado com os oito anos da administração “negra” do idiota e criminoso W. Bush, acredite piamente na mudança, num futuro diferente. Como compreenderia igual fé se John McCain tivesse conseguido os delegados necessários do colégio eleitoral.

Não percebo é estes europeus de Estrasburgo e Bruxelas (tens a certeza ?).

O Senador Obama foi o responsável por uma “comissão do senado para as relações com a Europa” – penso que era o nome – que nunca reuniu.

As suas afinidades são primeiro, os EUA, depois África, talvez um pouco a Indonésia. Sobretudo não são nem estão na Europa.

A agenda vai ser de tal forma avassaladora que não vai ter tempo de pensar “europeu”.

Se não sabe ainda, vai saber que a pequenez intelectual dos líderes europeus é tal forma deprimente, que o melhor que fará é delegar numa miúda (vais ver ela aí vem), que saiba ao menos que o velho continente fica a leste, a norte de África, e que quando for recebida no parlamento europeu, vai ter uma data deles a lamber-lhe as botas e mais uns quantos histéricos dispostos a ir mais longe.

Deves estar a ficar “balhelhas” ao dizer líderes europeus. Tal coisa não existe pá. Se existisse, depositavam confiança nos povos europeus, na sua diversidade e capacidade, quinta-essência da radical e legítima mudança que aqui ansiamos. Mas não.

É assim pá. Nada vai sobrar para nós.

Só o xadrez político mudou de mão, o tabuleiro é invariável na orientação. Até aqui tínhamos rei branco em casa “negra”, agora rei negro em casa branca. Melhor dizendo, um príncipe.