Partilhe
PRÓS E CONTRAS DAS TELENOVELAS por Silvano Nascimento
Silvano Nascimento

PRÓS E CONTRAS DAS TELENOVELAS por Silvano Nascimento

“…o consumo exagerado de telenovelas cria dependência psicológica e aliena as pessoas…”

A primeira telenovela brasileira a ser exibida em Portugal denominada de “Gabriela” data do ano de 1977 adaptada ao romance Gabriela Cravo e Canela do escritor Jorge Amado, sendo a primeira telenovela portuguesa exibida em 1982 chamada Vila Faia, ambas transmitidas na RTP a seguir ao telejornal das 20 horas.

Actualmente é exibida, diariamente em Portugal, uma dezena de telenovelas chegando mesmo a TVI a preencher integralmente o seu horário nobre com a transmissão deste tipo de programas denominado de ficção que mais não é do que um formato televisivo tendente a disputar audiências, por vezes de forma agressiva e em meu entender não raras vezes pouco ética, cujos estudos realizados nesta área referem a oferta de 6 horas diárias de televisão concentradas no horário nobre, contribuindo para as mais altas taxas de audiências ao longo dos últimos anos.

As causas mais apontadas, por diversos analistas, para tais elevadas quotas de audiências, têm a ver com população pouco letrada e com pouca propensão para a leitura e o analfabetismo que ainda é uma realidade em muitos dos telespectadores consumidores de telenovelas pouco exigentes do ponto de vista cultural.

Ainda, em sua opinião, o consumo exagerado de telenovelas cria dependência psicológica e aliena as pessoas, dado que pretendem transmitir cenas da vida real mas apenas lhes incutem emoções, sentimentos de alegria e de tristeza, aspirações e fantasias, que caracterizam o mundo do imaginário por serem por eles consideradas de produto cultural alienante.

Independentemente da opinião que cada um faça do papel das telenovelas e porque não, também, dos reality shows (big brother, casa dos segredos…), não lhes poderemos ficar indiferentes, nem tão pouco as subestimar, porque para muitas pessoas são a única forma de quebrar a sua solidão e o isolamento a que estão votadas, São também, quer queiramos quer não, fonte de cultura e de entretenimento e, desta forma, a sua audiência tornou-se numa rotina na vida de milhares de portugueses.

Contudo, parece-me exagerado o número de telenovelas actualmente exibidas em Portugal, sobretudo em horário nobre, que mais parece um mecanismo de controlo da mente dos telespectadores fiéis e submissos, não lhes permitindo espaço de reflexão e de crítica na abordagem de assuntos reais que a todos nos preocupam.

Como diz o ditado, “o povo tem sempre razão”. Se as telenovelas são dos programas de televisão que têm as maiores audiências, os telespectadores lá saberão qual o motivo destas suas preferências.

Eu gostaria que assim não fosse. Gostaria que as maiores quotas de audiências televisivas fossem para programas pedagógicos, culturais e educativos, de forma a poderem vir a contribuir para elevar o nível médio de competitividade dos portugueses exigido nas várias vertentes do mercado de trabalho quer interno quer externo.

Gostaria que estes programas prevalecessem sobre os de consumo mediático pobres, redutores e estereotipados que nos alienam, sufocam e anestesiam antes e depois do jantar, que nos envolvem em teias de programação com o objectivo de criar agressivamente quotas de mercado. Talvez um dia assim seja. Quem sabe

Apesar de nos restar cada vez menos escolhas de programas televisivos nos horários nobres, basta-me ver uma telenovela diária. Mais do que isso não, muito obrigado. Há mais vida para além das telenovelas.